Creche e Feminismo: desafios atuais para uma educação descolonizadora

Autores: Daniela Finco, Maria Aparecida Gobbi, Ana Lúcia Goulart de Faria.
Idioma: Português
Assunto: Creches, Educação, Feminismo,
Edição: 1 ed.
Páginas: 188
Ano de Publicação: 2015
Editora: Edições Leitura Crítica, Associação de Leitura do Brasil, Fundação Carlos Chagas

SINOPSE

O livro Creche e feminismo: desafios atuais para uma educação descolonizadora apresenta algo bastante original dentre as publicações na área da Educação Infantil: trata-se de uma discussão sobre creche e feminismo. O direito das crianças pequenas à educação em creches e pré-escolas, no Brasil, transborda as fronteiras do campo da educação há muito tempo, tornando-o peculiar em relação à escola obrigatória.

O livro é resultado das discussões realizadas no Seminário Internacional Fazendo Genero na UFSC, de um seminário temático na área da educação infantil e gênero, área essa ainda bastante inicial embora crescendo com crítica e assim alargando fronteiras. Esta coletânea destaca a educação das crianças pequenininhas entendendo como fundante as relações de gênero estabelecidas nas creches para a construção de pedagogias descolonizadoras que superem as desigualdades afirmando as diferenças de classe, gênero, etnicorraciais e todas as outras. Assim, o livro Creche e feminismo: desafios atuais para uma educacao descolonizadora tem a proposta de problematizar, nos diferentes momentos das lutas pelo direito à educação, o contexto político nacional voltado para a Educação Infantil e de mapear as conquistas e também os desafios atuais, levando em consideração a perspectiva de gênero, considerando a inclusão da perspectiva de gênero nas políticas de Educação Infantil, iniciado pela contribuição dos movimentos feministas, traçando um paralelo dos direitos das mulheres e das crianças, na reivindicação do direito a creche como direito das crianças e opção das famílias.

O livro pretende também colaborar de maneira inédita na formação de professoras e professores das crianças pequenas trazendo as teorias das relações de gênero ainda bastante ausente nos cursos de Pedagogia. Traz o desafio de construir um olhar feminista para os direitos das crianças, trazendo, sobretudo, a creche e a pré-escola como locus histórico de luta feminista, visando outras práticas pedagógicas, conscientizando professoras/professores, envolvendo as famílias, buscando transformar a realidade educativa das crianças pequenas, bem como fomentando pesquisas e novas teorias, em busca de práxis emancipatória e descolonizadora.

A publicação do livro vem reafirmando o compromisso com os desafios atuais frente ao contexto político e social brasileiro, que engendra a Educação Básica vem sofrendo retrocessos, sobretudo no que toca o debate sobre as desigualdades sociais de gênero, com medidas impeditivas que limitam e cerceiam os princípios da democracia e dos direitos humanos. Neste contexto o livro pretende oferecer subsídios para a promoção de práticas educativas que garantam o respeito à diversidade e superação das diversas formas de opressão presentes em nossa sociedade.