Apresentação

A preocupação com a pesquisa científica sobre os processos em avaliação educacional que esteve nas origens desta Fundação fez com que nela se estruturasse, no início da década de 1970, um Departamento de Pesquisas Educacionais que incorporou as pesquisas já em desenvolvimento e passou a implementar outros estudos. Em sua trajetória histórica ampliou seus interesses agregando temas que, socialmente e no campo da educação, se mostravam relevantes. Além dos estudos em avaliação educacional, foram se constituindo outros eixos de pesquisa: Educação Infantil: políticas e práticas; Políticas e Práticas da Educação Básica e Formação de Professores e Representações Sociais, Subjetividade e Educação; Gênero, Raça/Etnia e Direitos Humanos. As equipes dedicadas a cada eixo formam grupos de pesquisa acreditados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Ao criar interfaces entre os temas abordados e oferecer uma análise complexa da realidade brasileira, em especial no campo da educação e dos direitos humanos, o corpo de pesquisadoras incita a novas questões de pesquisa e de metodologias, buscando responder às necessidades socioeducacionais e acadêmicas. A convivência entre diversas perspectivas de análise permitiu às equipes de pesquisa da Fundação Carlos Chagas desenvolver abordagens originais e aprofundadas, evidentes em sua longa e reconhecida produção acadêmica e técnica. Além disso, a participação de pesquisadores de universidades como a Universidade de São Paulo (USP), a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), a Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), entre outras, em trabalhos colaborativos, tem garantido um produtivo intercâmbio de ideias, importante para a atualização e a renovação das equipes.