Projetos e Pesquisas em andamento (2014-2016)

  • A
    A subjetividade docente na perspectiva psicossocial: elementos para promoção de políticas educacionais (2013-2016).

    Resumo: O projeto visa investigar as subjetividades construídas pelos docentes do ensino fundamental, pela via das representações sociais, ao discutir os objetos relativos a sua profissionalização, com o intuito de enfatizar tanto a possibilidade de acesso às subjetividades por meio da contribuição da teoria das representações sociais, quanto indicar a importância de considerar as subjetividades do professor enquanto um ato político para propor sua formação e seu desenvolvimento profissional por meio de políticas da subjetividade.

    Equipe: Adelina de Oliveira Novaes e Arthur Arruda (UFRJ)

    Apoio: CAPES e UNICID

    Grupo de Pesquisa: Representações Sociais, Subjetividade e Educação.

  • A
    Avaliação e gestão educacional em municípios brasileiros: mapeamento e caracterização de iniciativas em curso

    Resumo: Fruto de parceria estabelecida em 2013 entre a Fundação Carlos Chagas e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o estudo tem o objetivo de ampliar o conhecimento acerca das avaliações educacionais municipais existentes no Brasil. Parte da constatação da centralidade que a avaliação de redes de ensino tem assumido na gestão nas políticas educacionais e do reconhecimento da ampliação do número de iniciativas desse tipo de avaliação no âmbito municipal. A pesquisa desenvolve-se em duas fases: a primeira, realizada em 2014, um Survey para os 5568 municípios brasileiros, direcionado aos dirigentes municipais de ensino; e a segunda, em 2015 e 2016, que contempla uma pesquisa de campo em 10 municípios brasileiros, escolhidos a partir dos resultados obtidos na primeira fase. Serão realizadas entrevistas semiestruturadas com gestores das secretarias de educação e profissionais de ensino, alunos e familiares das escolas, bem como observações nas escolas visitadas. Os dados obtidos serão organizados em relatórios por municípios, cotejando informações provenientes das entrevistas, do Survey e de bases de informações estatísticas produzidas pelo INEP, apoiando inferências acerca do lugar que vem ocupando a avaliação na gestão municipal. Além de contribuições no âmbito acadêmico, espera-se trazer subsídios para apoiar debates junto a gestores municipais, e contribuir para reflexões e aprimoramentos das iniciativas de avaliação educacional.

    Equipe: Adriana Bauer (Coordenadora-FCC); João Luiz Horta Neto - Inep (Coordenador-INEP); Sandra Zákia Lian Sousa - FEUSP (Pesquisadora-Colaboradora); Cláudia Oliveira Pimenta - FCC (Bolsista); Wagner Mendanha - Inep (Bolsista).

    Apoio: FCC/INEP

    Grupo de Pesquisa: Avaliação Educacional

  • A
    Avaliando Valores em Crianças e Adolescentes: proposta de construção de uma escala

    Resumo: O objetivo do projeto é a construção e a validação de uma escala que avalie a presença de valores sociomorais e o modo de adesão a eles por parte de crianças do segundo ciclo da escola fundamental, jovens do ensino médio e professores de educação básica. Os valores tratados na escala são: justiça, respeito, solidariedade e convivência democrática. O projeto inclui diferentes fases, a saber: investigar limites, dificuldades e possibilidades de procedimentos de avaliação de valores sociomorais; elaborar uma escala para mensurá-los e validá-la. Em 2011/12, foi construída a Matriz de referência, com o objetivo de orientar a elaboração de itens para avaliar os valores sociomorais referidos acima, também, nesse período foram elaborados os itens que comporiam os questionários. No ano de 2013, com apoio da FAPESP, a equipe dedicou-se à validação dos itens por especialistas da área e à pré- testagem dos mesmos. Em 2014, após a análise dos resultados do pré-teste, aplicaram-se os itens em 4.194 crianças, 4.500 jovens e 1.238 professores para, então, processar a escala. Para 2015, está prevista a análise dos dados, a descrição dos níveis da escala e a devolutiva para as escolas.

    Equipe:  Marialva Tavares (Coordenadora); Suzana Menin (Pesquisadora-colaboradora, UNESP – Presidente Prudente); Dalton Andrade (UFSC); Luciene Tognetta (UNESP); Patrícia Bataglia (UNESP); Raul A. Martins (UNESP); Telma Vinha (UNICAMP) (Consultores); Miriam Bizzocchi; Raquel Valle (Estatísticas); Adriano Moro (Auxiliar de pesquisa).

    Apoio: FAPESP e FCC

    Grupo de Pesquisa: Avaliação Educacional

  • C
    Conflitos no espaço escolar: a gestão de escolas públicas em contextos vulneráveis

    Resumo: O estudo busca identificar e analisar os motivos pelos quais escolas públicas da rede de ensino estadual paulista, localizadas em regiões consideradas vulneráveis pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo (Seesp), aderem ao Programa Sistema de Proteção Escolar – SPEC. De um lado, examina o escopo normativo do referido programa; de outro, procura compreender os significados atribuídos por Diretores, Professores Mediadores Comunitários (PMCs) e alunos sobre situações de conflito e violência em escolas públicas.

    Equipe: Angela Maria Martins (FCC; coord.); Claudia Vovio (Unifesp); Cristiane Machado (Unicid); Ecleide C. Furlanetto (Unicid); Marialva Rossi Tavares (FCC); Vanda Mendes Ribeiro (CENPEC/Unicid).

    Apoio: CNPq e Fundação Carlos Chagas

    Grupo de Pesquisa: Políticas e Práticas da Educação Básica e Formação de Professores

  • E
    Educação Infantil no Estado de São Paulo: perfil e condições de atendimento

    Resumo: Estudo sobre a educação infantil nos municípios paulistas, circunscrito ao período de 2000 a 2013, com foco no atendimento educacional das crianças com idades de 0 a 5 anos em creches ou instituições equivalentes e pré-escolas. Os objetivos do trabalho são conhecer e compreender a relação entre as matrículas na educação infantil e o tamanho da população na idade correspondente, em especial frente ao variado perfil socioeconômico das famílias e das mães de filhos de 0 a 3 anos, em particular. Estão previstas análises de dados secundários, provenientes do Censo Demográfico e Censo Escolar, em relação aos seguintes aspectos: demanda e oferta da educação infantil no Estado de São Paulo, de 2008 a 2013; comparação dos perfis das famílias e mães que têm filhos de 0 a 3 anos matriculados em creches e o perfil daquelas cujos filhos não são atendidos por esse serviço, em termos das condições socioeconômicas.

    Equipe: Fabiana Silva Fernandes (Coordenadora); Nelson A. S. Gimenes (Pesquisadora); Miriam Bizzocchi (Estatística); Juliana dos Reis Domingues (Bolsista).

    Apoio:  FCC

    Grupo de Pesquisa: Educação Infantil: políticas e práticas

  • E
    Engenharia, trabalho e relações de gênero na construção de habitações

    Resumo: Nos últimos dez anos, o que mudou nas engenharias e na posição das mulheres nesse campo profissional, no Brasil? Essa questão de pesquisa ensejou investigação exploratória quantitativa (análise de estatísticas de formação e emprego), qualitativa (entrevistas com pessoas de referência) e levantamento bibliográfico da produção nacional sobre engenharia e gênero, buscando identificar mudanças ocorridas durante a primeira década dos 2000, comparativamente aos anos 1990. A escolha da construção civil em edificações como área de trabalho e a engenharia civil, como profissão, deveu-se a vários fatores, entre eles o fato de a engenharia e a construção serem ambientes bastante propícios para a identificação das relações sociais que se estabelecem entre os dois sexos no exercício profissional, bem como de conflitos e discriminações de gênero, ao potencializarem o confronto de concepções e estereótipos vigentes na sociedade brasileira. O conhecimento acumulado sobre a construção e a divisão do trabalho técnico entre arquitetos e arquitetas numa obra e num escritório de projetos de habitação popular, fruto de estudo anterior, contribuem para afinar a observação a ser feita nesse estudo, além de ensejar comparações e o aprofundamento das análises.

    Equipe: Maria Rosa Lombardi (Coordenadora); Débora de Fina Gonzalez (Bolsista).

    Apoio: FCC/FAPESP

    Grupo de Pesquisa: Gênero, Direitos Humanos e Raça/Etnia.

  • E
    Ensino Médio: Políticas Curriculares dos Estados Brasileiros

    Resumo: A pesquisa Ensino Médio: Políticas Curriculares dos Estados Brasileiros é um projeto que está sendo desenvolvido pela FCC mediante demanda e financiamento da Fundação Victor Civita. O objetivo do estudo é construir um quadro diagnóstico e compreensivo a respeito das políticas curriculares para o ensino médio a partir de pesquisa de dados junto aos estados brasileiros. Para tanto, foram enviados questionários para as 27 Secretarias Estaduais de Educação do país e analisadas as disposições legais nacionais e estaduais para esse nível de ensino. Além disso, foram realizadas entrevistas com a equipe responsável pelo ensino médio e currículo em 10 Secretarias de Estado da Educação; na Secretaria de Educação Básica do MEC e, igualmente, na presidência do CONSED, para aprofundar a compreensão sobre as propostas curriculares e seus processos de implementação e acompanhamento. Essas análises serão relevantes para que: (a) se venha a compreender as tendências em andamento e identificar seus respectivos problemas, tendo em vista necessidades já conhecidas e estudadas sobre o ensino médio no contexto brasileiro; (b) seja possível alcançar subsídios para o delineamento e implementação de políticas educacionais para o ensino médio.

    Equipe: Gisela Lobo P. Tartuce (Coordenadora), Claudia Leme Ferreira Davis, Marina Muniz Rossa Nunes (Pesquisadoras); Luiza Helena da Silva Christov (Pesquisadora-colaboradora), Juliana Cedro de Souza (Bolsista); Gabriela Miranda Moriconi, Adriana Teixeira Reis, Ângela Castro Branco Teixeira, Andréia Lunkes Conrado (Pesquisadoras do campo).

    Apoio: Fundação Victor Civita

    Grupo de Pesquisa: Políticas e Práticas da Educação Básica e de Formação de Professores.

  • E
    Estudo qualitativo e quantitativo sobre o acesso e ausência de documentação civil, trabalhista, previdenciária e fiscal nas áreas de abrangência dos territórios da cidadania, por parte das mulheres rurais no Brasil.

    Resumo: Este estudo investiga o acesso e a ausência de documentação civil, trabalhista, previdenciária e fiscal nas áreas de abrangência dos Territórios da Cidadania, por parte das mulheres rurais no Brasil. Esse estudo incluirá: 1) Análise do banco de dados de execução (atendimento) do PNDTR/Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural, no período 2004-2013, bem como um histórico da criação, implementação e desenvolvimento do programa; 2) Levantamento exaustivo dos dados estatísticos oficiais disponíveis, para complementar a investigação da posse de documentação civil por parte das mulheres que habitam as regiões rurais; 3) Pesquisa de campo com mulheres rurais, mediante aplicação de questionários em 40 municípios pertencentes a 20 Territórios da Cidadania (dois por Território) das 5 regiões do país (4 na Região Norte, 6 na Nordeste, 4 na Centro-Oeste, 3 na Sudeste e 3 na Sul), a serem escolhidos segundo critérios do edital, em conjunto com a equipe gestora do projeto, a DPMRQ/Diretoria de Políticas para Mulheres Rurais e Quilombolas e NEAD/Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento do MDA/Ministério do Desenvolvimento Agrário; 4) Síntese dos achados da pesquisa e sugestões para aperfeiçoamento do PNDTR.

    Equipe: Arlene Ricoldi (Coordenadora); Sandra Matos (gerente de projetos); Roberta G Peres (subcoordenadora da pesquisa quantitativa); Rocio A Lorenzo (subcoordenadora da pesquisa qualitativa); Natacha S Leal (subcoordenadora de campo); Danielle R Oliveira (auxiliar de pesquisa).

    Apoio: Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação – FAO

    Grupo de Pesquisa: Gênero, Direitos Humanos e Raça/Etnia.

  • E
    Experiência, Historicidade e representações sociais: contribuição aos estudos educacionais (2014-2017)

    Resumo: O estudo propõe-se a investigar a conexão entre experiência, historicidade e representações sociais, de modo a contribuir teórica e metodologicamente para os estudos educacionais que se fundamentam em uma perspectiva psicossocial. Essa questão, embora não propriamente nova, ainda não foi devidamente problematizada pela literatura especializada. Nesse sentido, pretende-se, por um lado, aprofundar a análise sobre a historicidade das representações sociais e, por outro, aprofundar a temática que trata da experiência, na construção e manutenção de tais representações. Espera-se, com isso, oferecer uma contribuição aos estudos educacionais que, preocupados com situações de mudanças, utilizam a teoria das representações sociais em suas análises. Um recorte deste estudo está sendo realizado sob a orientação da Profa. Elizabeth Macedo (UERJ) na qualidade de pós-doutorado.

    Equipe: Lúcia Villas Bôas; Jean-Marie Barbier (CNAM).

    Apoio: CNPq, UMESP e Conservatoire National des Arts et Métiers (CNAM, França)

    Grupo de Pesquisa: Representações Sociais, Subjetividade e Educação.

  • H
    História da Educação e da Infância: informação e pesquisa

    Resumo: O projeto desenvolveu-se com a perspectiva de consolidar e ampliar a página História da Educação e da Infância sediada no portal da Fundação Carlos Chagas. Encerrado em 2014, digitalizou-se e organizou-se amplo conjunto de documentação, envolvendo as temáticas: creche; educação especial; educação no Amazonas; escola primária; igreja católica e educação; imprensa sul-mineira (escolar e local); jardim de infância; legislação sobre a infância no Império do Brasil. Realizou-se estudo sobre o Boletim Interno da Divisão de Educação, Assistência e Recreio, relacionado aos parques infantis do município de São Paulo, publicado em Textos FCC. O projeto envolveu cooperação com a Universidade São Francisco e parcerias com o Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas e o Centro de Estudos Campanhense Monsenhor Lefort (MG), por meio do projeto Educação e Relações Sociais na História (apoio CNPq).

    Equipe: Moysés Kuhlmann Jr.(Coordenador); Fabiana S. Fernandes; Daniela Fagundes Portela, Paula Leonardi (bolsistas).

    Apoio: FCC e CNPq (edital universal)

    Grupo de Pesquisa: Educação Infantil: políticas e práticas.

  • N
    Novos lugares da desigualdade? Caracterização do ensino superior na interface gênero e raça/cor na atualidade.

    Resumo: O objetivo principal dessa pesquisa é examinar, por meio da análise de dados quantitativos disponibilizados nos Censos Demográficos 2000 e 2010 (IBGE) e nos Censos do Ensino Superior (INEP), as desigualdades de sexo e cor/raça no acesso e na permanência no ensino superior e as hierarquizações decorrentes dessas diferenças na sociedade brasileira. Três frentes de estudos foram construídas com vistas a aprofundar a compreensão da presença de mulheres e negros no ensino superior: 1. Caracterização das pessoas que frequentam os cursos de graduação no Brasil segundo sexo e raça/cor na interface com: faixas de idade, renda familiar, distribuição por região geográfica (dados IBGE); 2. Caracterização das Instituições de Ensino Superior a partir das variáveis sexo e raça/cor. Serão examinadas as incidências de mulheres e negros nas diferentes instituições, a frequência a instituições públicas ou privadas e por organização acadêmica (Universidades, Centros Universitários ou Faculdades – dados INEP); 3. Mapeamento dos lugares ocupados segundo sexo e raça/cor no ensino superior e sua consequente inserção em carreiras de maior ou menor prestígio (dados IBGE e INEP). A expectativa é que esses enfoques ajudem na compreensão das diferenças internas de acesso ao ensino superior no Brasil e contribuam para a conquista de igualdade de oportunidades entre os segmentos sociais.

    Equipe: Arlene M. Ricoldi (Coordenadora); Amélia de Abreu Artes (Bolsista).

    Apoio: CNPq/FCC

    Grupo de Pesquisa: Gênero, Direitos Humanos e Raça/Etnia.

  • P
    Políticas e gestão da educação básica 2009-2015 - o estado do conhecimento

    Resumo: O estudo dá continuidade ao Estado da Arte realizado entre 2000 a 2008, sobre o tema "políticas e gestão da educação básica". O levantamento atual – com base em artigos divulgados em periódicos da área - tem como propósito examinar de que forma os trabalhos analisam a implementação de políticas educacionais, focando, em especial, os instrumentos de planejamento na avaliação de programas e projetos de governo e nos mecanismos de representação e participação da comunidade. Após a organização das fontes, sua classificação será feita por meio de análise de conteúdo. Espera-se identificar as diferentes perspectivas metodológicas adotadas, além do campo teórico que fundamenta os estudos sobre a implementação de políticas públicas da educação.

    Equipe: Angela Maria Martins (Coordenadora); Jacqueline Nunes Araújo (Bolsista doutorado Capes/FCC); Jessica Munhoz Araújo (Bolsista FCC)

    Apoio: Fundação Carlos Chagas

    Grupo de Pesquisa: Políticas e Práticas da Educação Básica e Formação de Professores.

  • P
    Por que tão poucas? Um estado da arte de estudos em engenharia e gênero

    Resumo: Trata-se de um Estado da Arte das investigações que se debruçaram sobre as relações de gênero nas Engenharias no Brasil, nos anos 2000, procurando refletir sobre as concepções de feminização neles presentes, seja de forma explícita ou implícita. Esse balanço é de ordem quantitativa e qualitativa. Preocupa-se em quantificar e classificar a produção localizada e em analisá-la, considerando os eixos temáticos que emergiram do próprio material analisado. A busca contempla um período de tempo de doze anos (2000 – 2012), em bases digitais de teses e dissertações, periódicos selecionados e livros, dentre outros. Os critérios de seleção das fontes pesquisadas buscam contemplar a amplitude da produção acadêmica nacional, pesquisando o banco de teses e dissertações da CAPES e, ao mesmo tempo, dirigir o foco para eventos, publicações e grupos de pesquisa que trabalham com as questões de gênero, ciência e tecnologia.

    Equipe: Maria Rosa Lombardi (Coordenadora); Uvanderson Vitor Silva (Bolsista).

    Apoio: FCC

    Grupo de Pesquisa: Gênero, Direitos Humanos e Raça/Etnia.

  • P
    Percepção e apreciação estética e pessoal de uma obra fílmica e musical: a trilogia Qatsi.

    Resumo: Trata-se de uma pesquisa coletiva e intercultural sobre a recepção da “Trilogia Qatsi”, dirigida por Godfrey Reggio e com trilha sonora de Phillip Glass, que engloba 3 filmes: Koyaanisqatsi (A vida em desequilíbrio, (1983), Powaqqatsi (A vida em transformação, 1988) e Naqoyqatsi (A vida em guerra, 2002). A obra não conta com narração e faz uso das imagens e da música para representar modos de vida em desequilíbrio, em transformação ou em guerra, o que a torna particularmente propícia à análise dos múltiplos processos de transmissão de maneiras de ver, interpretar e de construir o nosso modo de vida possibilitando uma discussão no campo de estudos da educação, de valores, das representações sociais e da cultura. A pesquisa encontra-se em fase de aplicação de um questionário com especialistas e não especialistas na área das Artes, após ter assistido à trilogia.

    Equipe: Denise Jodelet (França), Béatrice Madiot (França), Brígido V. Camargo (Brasil), Lúcia P.S. Villas Bôas (Brasil), Adelina de O. Novaes (Brasil), Clarilza Prado de Sousa (Brasil), Maria Geka (Grécia), Angela Arruda (Brasil), Maria Cristina Chardon (Argentina), Noemie Graciela Murekian (Argentina), Susana Seidmann (Argentina), Karina Alves Biasoli Stanich (Brasil), Leila Yuri Sugahara (Brasil), Dario Paez (Espanha), Risa Permanadeli (Indonésia), Miguel Angel Casillas Alvarado (México), Martha de Alba (México), Dorra Ben Alaya (Tunísia), Marilena Jamur (Brasil), María Cardil Blasco (Espanha), Lilian Ulup (Brasil), Elma Premilovac (Tunísia), , Elena Bocci (itália), Eulogio Romero (Espanha), Hallouma Cherif (Argélia), João Fernando Rech Wachelke (Brasil), Andréa Barbará da Silva Bousfield (Brasil), André Faro Santos (Brasil), Peter Dietrich (Brasil), Ana Lúcia de Marques e Louro-Hettwer (Brasil), Claudia Ribeiro Bellochio (Brasil), François Joseph Azoh (Costa do Marfim), Abdeslam Dachmi (Marrocos), Monica Duarte (Brasil), Annamaria De Rosa (Itália), Maria Fátima Abdalla (Brasil), Peter Dietrich (Brasil).

    Apoio: FCC, EHESS - École des Hautes Études en Sciences Sociales

    Grupo de Pesquisa: Representações Sociais, Subjetividade e Educação.

  • Q
    Qualidade e equidade das condições do trabalho docente

    Resumo: As condições de trabalho oferecidas aos docentes têm sido apontadas por diversas pesquisas como um dos principais fatores que afetariam a atratividade e a permanência dos professores na profissão, bem como a qualidade do ensino promovido por esses professores. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa é analisar a qualidade e a equidade das condições de trabalho e de emprego oferecidas aos docentes da educação básica do Brasil, utilizando-se das bases de dados disponíveis em âmbito nacional, tais como o Censo Escolar, a PNAD e a TALIS. Resultados parciais obtidos a partir da análise de dados do Censo Escolar de 2013 apontam para uma diversificação na organização do trabalho e diferenças significativas entre o número de turmas e de alunos para cada docente dos anos finais do ensino fundamental. Foram identificadas condições de trabalho menos favoráveis em termos de número de turmas e de alunos entre aqueles que atuam concomitantemente nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio, em mais de uma escola e em mais de uma rede de ensino.

    Equipe: Nelson Gimenes (Coordenador); Gabriela Moriconi (Pesquisadora); Lisandra Príncipe (Bolsista).

    Apoio: FCC

    Grupo de Pesquisa: Políticas e Práticas da Educação Básica e Formação de Professores.

  • R
    Resilience and Porosity of City Borders: A Psychosocial investigation in three Brazilian cities

    Resumo: O projeto, que conta com a coordenação internacional de Sandra Jovchelovitch e nacional de Pedrinho Guareschi, visa a contribuir com uma abordagem psicossocial para o estudo das transformações urbanas ao desenvolver um estudo conceitual e empírico da experiência urbana. Serão analisados três conceitos/dimensões psicossociais: o eu (autoestima), a comunidade (sua resiliência) e o ambiente urbano (porosidade das fronteiras, construída e simbólica). Para tal, compreende-se essencial teorizar a resiliência de comunidades excluídas bem como a dos sujeitos, sobretudo no que tange à rápida transformação dos contextos urbanos.

    Equipe: Sandra Jovchelovitch (LSE); Adelina de Oliveira Novaes(FCC/UNICID); Pedrinho Guareschi (UFRS); Jacqueline Priego-Hernandez (Bournemouth University), Simone Paulon(UFRS); Cristal Aragão (UFRJ).

    Apoio: Research Councils UK; Conselho Nac. Fundações Estaduais de Amparo à Pesq; Fundação Carlos Chagas.

    Grupo de Pesquisa: Representações Sociais, Subjetividade e Educação.

  • S
    Sexual and reproductive health among adolescents in São Paulo: the qualitative effects of schooling

    Resumo: Desenvolvido em parceria com a Bournemouth University, o projeto de pesquisa, ao assumir a importância da escolarização na formação das práticas de saúde sexual e reprodutiva, identifica a falta de atenção sistemática ao papel da escolaridade nas práticas sexuais e reprodutivas de adolescentes em contextos urbanos brasileiros, onde o foco principal tem sido a gravidez na adolescência e problemas concomitantes. O estudo recorre à teoria das representações sociais como a sua teoria abrangente e, mais especificamente, incorpora as ferramentas teóricas da “experiência vivida” e “dialogicidade”, ao abordar, em um primeiro momento, as principais tendências em matéria de educação para a saúde sexual na América Latina e, em sua segunda etapa, dedicar-se à análise das representações sociais de saúde sexual e reprodutiva de adolescentes em comunidades urbanas de São Paulo e sua relação com a escolaridade. Após revisão sistemática da literatura sobre educação sexual no meio escolar na América Latina e análise de um conjunto de dados que compreende cerca de 30 entrevistas em profundidade com adolescentes do sexo feminino e o mesmo número do sexo masculino de comunidades urbanas em São Paulo, está prevista a elaboração de um relatório de investigação publicável na análise de tipo framework, implementada no conjunto de dados e as principais conclusões e implicações com vistas a identificar proposições e desenvolver ações nos contextos escolares.

    Equipe: Jacqueline Priego-Hernandez (Bournemouth University); Adelina de Oliveira Novaes (FCC/UNICID); Roberto Gimenez (UNICID); Claudia Terra (Bolsista da FCC); Gilherme Rocha Savarezzi (Bolsista UNICID).

    Grupo de Pesquisa: Representações Sociais, Subjetividade e Educação.