Educação escolar em tempos de pandemia na visão de
professores e estudantes da educação infantil,
ensino
fundamental e ensino médio: o enfrentamento das desigualdades

Descrição

A pandemia ocasionada pelo surto da covid-19 provocou a suspensão das atividades presenciais de um número expressivo de escolas e, segundo dados da UNESCO, cerca de 39 milhões de alunos da educação básica deixaram de frequentar as instituições de ensino. De um momento para outro, professores e estudantes viram-se tendo que atuar diante de um contexto de excepcionalidade em que alternativas passaram a ser adotadas com o objetivo de reduzir o prejuízo educacional e a preservação do direito à educação. No atual momento, em que propostas e orientações visando a uma possível reabertura das escolas ainda titubeiam diante das incertezas do cenário sanitário, duas questões continuam tendo destaque no debate nacional: garantir que os estudantes não sejam prejudicados em seu processo de escolarização e evitar o acirramento das desigualdades de acesso e de oportunidades. Nesse contexto, o objetivo geral deste projeto é identificar e compreender a percepção dos professores e estudantes acerca da educação escolar no atual contexto, considerando as especificidades de cada etapa/modalidade de ensino, a saber, as etapas da educação infantil, anos iniciais e finais do ensino fundamental e ensino médio, oferecidas em escolas públicas e privadas no Brasil a partir de três eixos principais de discussão: Políticas educacionais, formação docente e avaliação; Trabalho e práticas docentes; e Desigualdades educacionais e inclusão. Para contemplar esses eixos temáticos, foram desenhados sete estudos com diferentes recortes temáticos, descritos abaixo, dirigidos a públicos diversos, partindo de pressupostos teóricos particulares e delineados em formato plurimetodológico, com a intenção de compreender as táticas que vêm sendo utilizadas pelos docentes, as repercussões no trabalho docente e na aprendizagem, a percepção e a construção de novas formas de ser e de estar na profissão, novas configurações de práticas docentes, bem como as dificuldades enfrentadas por todos os agentes envolvidos.

 

Sobre

Coordenação: Lúcia Villas Bôas e Sandra Unbehaum

Pesquisadores DPE/FCC: Adelina Novaes, Adriana Pagaime, Adriano Moro, Amélia Artes, Cláudia Pimenta, Fabiana S. Fernandes, Gabriela Moriconi, Maria Rosa Lombardi, Marina Muniz Rossa Nunes, Nelson Gimenes, Thaís Gava e Vandré Gomes da Silva

Estatística: Raquel da Cunha Valle e Miriam Bizzocchi

Financiamento: Fundação Carlos Chagas e Itaú Social

Vigência: 2020-2021

Skip to content