1. Início
  2. |
  3. Educação e Pesquisa | Pesquisas
  4. |
  5. Avaliação I Edital Gestão para a Equidade: Elas nas Exatas

Avaliação I Edital Gestão para a Equidade: Elas nas Exatas

Coordenação: Sandra Unbehaum

Equipe: Sandra Unbehaum, Amélia Artes, Raquel Vale (estatística)Thais Gava, Vicente Sarubbi Jr.

Financiamento: Instituto Unibanco

Parceiro: ELAS – Fundo de Desenvolvimento Social

Vigência: 2015-2017

Descrição: O I Edital Gestão para a Equidade: Elas nas Exatas é uma iniciativa do Instituto Unibanco em parceria com o ELAS Fundo de Investimento Social e a FCC. Lançado em 2015, concorreram 174 propostas de 24 estados da federação, tendo sido selecionados dez projetos de oito estados. As ações ocorreram em 2016. O edital foi estruturado para – por meio do apoio financeiro e de monitoramento das atividades – contribuir para quebrar a cadeia de valores culturais e históricos pré-estabelecidos que desestimulem nas jovens mulheres seus talentos e suas aptidões para o campo das ciências exatas. Nessa parceria, coube à FCC elaborar e executar a avaliação das dez iniciativas apoiadas para, ao final da execução dos projetos, obter um conjunto de características recorrentes nos projetos visando a auxiliar no fomento de novas iniciativas dessa natureza. A avaliação foi dividida em duas etapas – avaliação diagnóstica, voltada para o estabelecimento das características iniciais com relação às propostas selecionadas no edital e a avaliação de resultados, apreendidos à luz dos objetivos estabelecidos por cada projeto, as condições dadas, os desafios e soluções buscadas. A avaliação diagnóstica, correspondente ao marco inicial do projeto, envolveu o estudo das iniciativas aprovadas; a caracterização da escola e do perfil de estudantes; a aplicação de uma escala para verificação da percepção das questões de gênero por estudantes; identificação dos desafios e compromisso da escola com o projeto. Esses dados puderam prover informações para eventuais orientações de ajustes e mudanças, se necessárias, ainda durante o estágio de desenvolvimento dos projetos. Já a avaliação dos resultados focou nas atividades e produtos advindos da interação entre o grupo proponente, a escola e as jovens participantes da iniciativa. Observaram-se as etapas desenvolvidas para a concretização da proposta e os encaminhamentos e saídas encontradas para a realização das ações no tempo estipulado pelo edital. Apesar de as dez iniciativas partirem de um objetivo comum – sensibilizar, informar sobre a inserção das mulheres nas áreas das exatas, procurando empoderá-las para esse fim, cada uma delas utilizou estratégias específicas, em contextos diversos. Todas, em suas especificidades, atingiram seus objetivos, sendo o maior desafio para elas garantir e envolver a comunidade escolar nas ações. Ao final, foi feita uma compilação dos parâmetros mínimos necessários para a realização de atividades sobre equidade de gênero na escola, com especial atenção para as ações que promovam o acesso das mulheres jovens às áreas das exatas: 1) envolvimento da escola em todas as etapas do projeto; 2) apoio técnico e teórico em gênero e gestão escolar para equidade para os projetos previamente à execução das ações; 3) construção com as e os docentes de tecnologias e conhecimentos para subsidiar uma prática pedagógica de promoção da equidade de gênero; 4) contribuição para o aprendizado de jovens de ambos os sexos nas disciplinas das ciências naturais e exatas; e 5) construção de parcerias e apoio (articulação com secretárias de educação – municipais e estaduais; fortalecimento de parcerias com universidades/faculdades locais, instituições de pesquisa, coletivos e movimentos sociais locais).

FCC
Skip to content